Produção de iPads terá atraso

Ministro afirma que falta de acesso à nova fábrica vai adiar em um mês o início de produção de equipamentos da Apple em Jundiaí

O ministro de Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, empurrou para a Prefeitura de Jundiaí parte da responsabilidade pelo atraso no início de produção da nova fábrica da Foxconn, que irá montar equipamentos da Apple na cidade.

O ministro afirmou nesta sexta (17) que o início de produção de iPads (tablets) e iPhones (celulares) passou de agosto para setembro, em virtude de a prefeitura não ter concluído a alça de acesso à fábrica, que fica no km 66 da rodovia Anhanguera.

“As obras não ficaram prontas e a empresa precisa desse acesso para escoar sua produção”, disse Mercadante durante reunião na sede da CNI (Confederação Nacional da Indústria), em São Paulo.

Quinta (16), uma comitiva da prefeitura e representantes da empresa de origem taiwanesa foram à Secretaria Estadual de Logística e Transporte para tratar do assunto.

Em abril, a própria prefeitura informou que executivos da empresa haviam ido ao Paço pedir o apoio do poder público para intermediar obras de infraestrutura junto ao Estado, exatamente para construção de um novo acesso, mas sem informar se seria para a nova fábrica, cujo endereço até então era mantido em sigilo.

O novo investimento da Foxconn em Jundiaí foi oficializado no início do mês na Junta Comercial de São Paulo. A empresa vai ocupar 14 boxes do condomínioindustrial Global, ainda em obras.

Sem se alongar, por meio de nota enviada por sua assessoria de imprensa, a prefeitura disse que “as obras viárias necessárias para a implantação da unidade da Foxconn estão sendo desenvolvidas em parceria com a Secretaria Estadual de Logística e Transporte, conjuntamente com representantes da Artesp (Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Transporte do Estado de São Paulo) e AutoBAn”.

A prefeitura informou também que a realização destas obras depende de processos legais, que foram acelerados com o objetivo de atender a empresa dentro dos prazos estipulados. Mas não informou se há atrasos e qual tempo previsto.

A Foxconn não se pronunciou sobre a polêmica.

Mão de obra é outra preocupação
O ministro também disse ter sido informado pela Foxconn das dificuldades de se conseguir mão de obra especializada. A empresa, segundo ele, já mandou 175 engenheiros para estágio na China e que a seleção era para 200 profissionais. Ao todo, de acordo com a prefeitura, a produção da Apple em Jundiaí precisará de 6 mil trabalhadores. A parceria também está montando um centro logístico.

 

FONTE: Rede Bom Dia

Related Posts